Titanic

A crise é um barco a naufragar sem salva-vidas para todos. O governo pede que sejamos patriotas e fiquemos no porão enquanto os passageiros da primeira classe se salvam. Os sindicatos dizem que se não há salvação para todos, que vá tudo ao fundo. Os políticos da orquestra de câmara continuam a fazer o que […]

Palco

Um homem triste. Um veterano pegando numa câmara fotográfica como se fosse uma arma. Uma mulher muito bela imagina-se uma mariposa sob a luz. Uma cadeira. Uma mesa. Parecem abandonadas sobre o palco. Uma sala vazia leva mais solidão. O homem aponta a câmara ao público. Dispara. Cada pessoa ao sair para a rua, ainda […]

Paz

Durante anos e anos esqueci a guerra. Esqueci, não – escondi-a no fundo da memória onde não se ouvissem os tiros. Só às vezes em sonhos o chão rebentava todo debaixo de mim. Mas de manhã os teus olhos inventavam a paz no mundo.

Abril

Felizmente, a 25 de Abril de 1974 tudo mudou ao nascer do dia. Tudo, menos as pessoas com certezas. Nós, os que temos dúvidas, temos também a honestidade de mudar frequentemente de opinião. Eles são desonestos porque quando mudam, mudam de uma certeza para outra.

Coragem

Os generais da junta médica militar mediram-me de alto a baixo e fizeram o que lhes mandaram fazer: deram-me alta porque a minha cama fazia falta para tanto ferido que a guerra fabricava. E ficou deliberado que ao sair dali eu estaria restabelecido. – Assine aqui. – Não assino nada. – É uma ordem. Não […]

Milagre

No hospital de Hamburgo havia muita gente que acreditava em milagres, mas nem todos os pernetas que foram a Lourdes tinham fé. Porém o Giló andava em silêncio a matutar naquilo. Pelo sim pelo não, mais valia acreditar. E nós, cínicos, encorajávamo-lo. No regresso, o Giló vinha envergonhado por ainda estar perneta. Apesar de cínicos, […]

Dormidas

No Cais do Sodré um sem-abrigo dormita de mão estendida. O braço direito esticado e apoiado sobre o joelho. Um boné sebento na mão diz a quem passa: “Dêem qualquer coisinha”. Dormita, porque é difícil manter os olhos abertos à indiferença humana. Na esquina da rua, uma porta diz a quem passa: “Dormidas”. Em frente […]

Misses

O médico olhou para o Lemos e concluiu que, ainda assim, muito do Lemos se tinha salvo, e perguntou a pergunta que perguntava sempre: – Sente-se bem? E o Lemos: – Sr. Doutor, tenho a impressão que o meu pénis está a modos que sem acção. No Domingo à tarde, as vencedoras do concurso das […]

Mina

A fila de soldados deixava marcas de pés no chão. À medida que as marcas eram feitas ouvia-se um pequeno ruído como se o chão gemesse ao ser pisado pelos pés dos soldados. Às vezes o chão fazia um ruído muito maior ao ser pisado. Nunca devemos pousar os pés num chão que não nos […]

Guerra

O vento soprava vindo de Sueste. Uma farripa de cabelo passava-me à frente dos olhos entrecortando a paisagem. Claro, escuro. Claro, escuro. As palavras do Dr. Diógenes a falar do dever e da honra. As palavras do meu pai a falar de afectos. A guerra à espera. Como se podem tomar decisões com o cabelo […]